28 de nov de 2011

FACES

De tanto querer...
 - Teimo,
até minha dor se fazer poesia
e evadir no silêncio do ermo
de tal maneira que minha alegria
se confunda, se embriague nos termos
e minha face se esconda na fantasia.
De tanto querer,
- Persisto,
teimo ser mais feliz algum dia, ungido
de tal forma que a expressão da alegria
seja meu rosto estampado, despido
sem alegorias ou máscaras de fantasias.


                                    José BENEdito de BRITO

Nenhum comentário:

Postar um comentário