6 de jun de 2011

Cidadão global

Era por demais pretensioso
Queria para si o mundo inteiro
E por tal ambição não se fatigava
Devorava as previsões do The New York Times
Aplicava o tempo na bolsa de Tóquio
Consumia as horas com uísque escocês
Tragava os minutos com charutos cubanos
Jogava a sorte nos cassinos de Mônaco
Num apartamento em Abu Dhabi
Fora encontrado enforcado
No pescoço as cordas de um Rolex Daytona
O relógio marcava zero hora