6 de abr de 2012

TEMPOS DE GLÓRIA

Agora vou dar um tempo pro ócio
Correr, comprar vender, pechinchar.
O negócio é cuidar dos negócios
que a vida não tá pra bobeira.
- Relaxar, nem de brincadeira!
Vou cuidar de arranjar outro sócio
esquecer essa coisa de divórcio
passeio, jantar e rodas de cerveja.
- Meu negócio é fundar uma igreja
Nos cultos falar de amor
inventar cura para toda dor
vou  forjar milagres pra loucura
ressuscitar mortos em sepultura
lotear bônus de salvação.
Arranjar meu primeiro milhão.
- Pois há gente de bom coração.
Já que o tempo não tá mais pra protestos
vou fazer lobby no congresso
pra concessão de uma rede de TV.
Rezar, só na cartilha da sonegação.
- Vem para o culto meu irmão!
Passear, só de porsche com vidros fumê
em Manhattan morar num APÊ.
- A pobreza que vá se foder!
Cristo tem poder. Aleluia, irmãos!

                                   José BENEdito de BRITO

1 de abr de 2012

De quem são esses olhos?


De quem são esses olhos
que arrastam meus olhos
essa faca cortante
que a todo instante
minha alma incendeia
me rouba segredos
e em meus olhos vagueiam?
De quem são esses olhos
Que me mete medo?
Terá algum segredo!
Ah, de quem são esses olhos!
esses olhos, esses olhos...
que miram meus olhos
arqueando meus olhos
curando os abrolhos
do olhar dos meus olhos
Será olhos de brinquedo!
Então, olha em meus olhos
e me diz: qual é teu segredo?


                            José BENEdito de BRITO