19 de nov de 2011

Clamores

Amor, rosas e flores
vida beleza e cores.
Colori com tuas cores
de rosa choque os clamores
de um povo que viveu
sob as rédeas dos horrores.

Teus clamores
não têm cores de rosas,
flores campestres.
Teus horrores têm dores
de espinhos, ardor e pestes.

José BENEdito de BRITO

13 de nov de 2011

FUNERAL

Um navio partiu,
com ele
uma multidão.
Um passo
uma prece
um choro
a solidão.

A bordo um homem frio.
No frio,
quantas mãos!
Rostos tristes...
Pesada expressão.
Mantos pretos,
próximos a despedir-se
do capitão.

Ficou para trás:
as terras
o barco
a loja
a rua
a direção
os livros
a sabedoria,
a voz do capitão.

                          José BENEdito de BRITO