13 de nov de 2011

FUNERAL

Um navio partiu,
com ele
uma multidão.
Um passo
uma prece
um choro
a solidão.

A bordo um homem frio.
No frio,
quantas mãos!
Rostos tristes...
Pesada expressão.
Mantos pretos,
próximos a despedir-se
do capitão.

Ficou para trás:
as terras
o barco
a loja
a rua
a direção
os livros
a sabedoria,
a voz do capitão.

                          José BENEdito de BRITO

Nenhum comentário:

Postar um comentário