30 de ago de 2014

QUEIXA

As vezes saiu de mim
só pra me encontrar
e desatino no vazio do teu olhar.
Perdido, te acho,
indiferente aos meus braços.
Tudo é incerto,
quando além, o deserto.
Não vês, quanto de nós, ainda,
no perfume dos nossos lençóis!
Meu coração te reclama
queimando em tuas chamas.
Nada de abraços.
No vazio,
estendidos, apenas, meus braços.
Nada, além do silêncio, é tudo.
E eu me encontro, perdido, no absurdo.