21 de fev de 2011

Narciso

Pasta uma boiada
Onde antes flores
De paus-d`arco
irrompiam para mim


O tempo varreu
As flores da paisagem
E no lugar do roxo e do amarelo
O gado rumina minha infância


E nostálgico,
- o velho Narciso –
Morrendo nos meus olhos