22 de jul de 2011

Filosofia de inutilidades

Durante a minha
trajetória de barco
naveguei mares infindos
cruzei torrentes
e colhi tempestades.
Por muitas vezes morri
por muitas vezes
ressuscitei sargaço
aprendi, no entanto,
que para viver plenitude
basta a simplicidade dos musgos
e a ternura de um rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário