19 de nov de 2010

Canção de partir

Gruda-te a mim
qual musgo
gruda-se às pedras.
Não te afastes, jamais
com essa pressa de rio
que tece corredeiras.
Não me deixes naufragar
no abismo de tua ausência.
Não me fites nos olhos
com esse olhar
de quem ficou no cais...
E não te parta de tristezas
ao partir-me os olhos.

                   José BENEdito de BRITO

Nenhum comentário:

Postar um comentário