17 de mai de 2011

ESTRELAS NO PAIOL


De qual estrela furtaste o brilho
pra enfeitar teus olhos?
O céu é poesia
mas, não se ver a luz do dia
estrelas a brilhar.
Só teus olhos ofuscam o sol,
nem mesmo o arrebol
distrai-me da leveza
compara-se a beleza
dos teus olhos de farol.
Ah, que tanto vês, como criança
que meus olhos nunca alcançam?
Será estrelas no paiol?
Esta noite é só um instante
como jamais fora antes,
contar estrelas qual amantes
vaga-lumes a cintilar.
Por que me negas teu olhar?
E para que serve os olhos
senão para devorar a beleza?
Ah, como meus olhos te devoram!
Estrela da aurora, da noite,
ou qualquer hora que vive a me guiar.

             José BENEdito de BRITO

Nenhum comentário:

Postar um comentário